Segurança no mundo das criptomoedas é um componente básico para quem quer se envolver com o mesmo. A grande maioria das criptomoedas utilizam o esquema de chaves públicas e privadas. Sendo que para “movimentar” o valor é necessário ter conhecimento da chave privada. Portanto proteger a chave privada de sua carteira de moedas é essencial.

O uso de uma carteira física para armazenar a chave privada é considerada uma solução interessante para aumentar a proteção de sua chave privada.

A ideia é que a chave privada fica no dispositivo, e que qualquer movimentação a pessoa deverá conectar o dispositivo ao computador e confirmar por meio de seus botões. Isto faz com que a chave privada de sua carteira virtual não saia do dispositivo.

Existem diversas soluções comerciais que oferecem este tipo de solução como a Trezor e a Ledger. Cada fabricante com diversos modelos conforme a necessidade.

Este artigo apresenta para fins educacionais a construção de uma carteira utilizando o software PiTrezor que é uma variação do software open source Trezor (https://github.com/trezor) . A Trezor foi lançada em 2014 pela empresa SatoshiLabs, da República Tcheca.

Não é recomendável o uso de carteiras DIY como esta descrita aqui devido que a mesma apresenta menos segurança que as carteiras comerciais/originais. Use as informações por sua conta e risco.

Apresento o resultado final da carteira na figura abaixo:

Carteira de moedas digitais utilizando Raspberry Pi e software PiTrezor

Para realizar a montagem você vai precisar dos seguintes componentes:

Raspberry Pi Zero

OLED Display SH1106

Botões (para montagem)

Cartão de memória

Imagem que deverá ser gravada no cartão de memória do software que pode ser obtida no endereço: https://www.pitrezor.com/2018/02/pitrezor-homemade-trezor-bitcoin-wallet.html

Informações sobre a pinagem realizada para conectar os botões e o display OLED também estão no site acima.

Uma case impressa 3D para a montagem pode ser obtida no endereço: https://www.thingiverse.com/thing:2984762

Abaixo a foto do RaspBerry Pi

Entretanto o projeto de uma carteira física envolvendo o RaspberryPi Zero não é tão seguro como a Trezor original pois caso se tenha acesso ao SD pode-se ter acesso as chaves privadas de sua carteira. Indo mais a fundo o projeto original do Trezor One utiliza o processador da família STM32 e é possível também criar uma carteira do tipo faça você mesmo utilizando o processador.

Para isto é necessário uma placa de desenvolvimento STM32, um adaptador conhecido como ST-Link para enviar o software ao microcontrolador, além do display Oled e botões.

Abaixo a foto da montagem realizada utilizando este outro microcontrolador.

Existem kits como o acima vendidos de maneira comercial. O passo a passo da montagem e preparação do software estão no endereço: https://mcudev.github.io/trezor-dev-kit/

Também sugiro a leitura do site https://mcudev.github.io/trezor-one-low-cost-dev-kit/index.html que dá os detalhes para a montagem utilizando uma placa de desenvolvimento.

Este segundo projeto é um pouco mais seguro pois as chaves ficam na memória do microcontrolador e, portanto, mais seguro que o primeiro projeto onde a chave fica no cartão SD. Entretanto é necessário um conhecimento mais aprimorado de microcontroladores (para trabalhar com o ST-Link) e também com software (que tem a imagem do firmware gerada manualmente direto do git do projeto).

Categorias: Projetos

0 comentário

Deixe um comentário

Avatar placeholder

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.